NPC 49 – África

Randal Bergamasco 10 de setembro de 2014 58
NPC 49 – África
Reproduzir

Usuku oluhle. Kulungile? Pois é, isso significa “Bom dia. Tudo bem?” em zulu, uma das muitas línguas faladas no segundo continente mais povoado da Terra. Nesta edição do Na Porteira, Randal Bergamasco (@randalberga) e Alexandre Sacutti (@IzavanSacutti) recebem o filósofo podcastal Márcio Etiane (@aviafilosofica), o sociólogo freak Oleno Petrere (@ndox138) e o historiador muito recorrente aqui Igor Guedes (@professorigor) para falarmos sobre um continente repleto de história, cultura, natureza e vários problemas sociais e econômicos: o tema do programa de hoje será a ÁFRICA. Você sabe qual a diferença entre África Branca e Subsaariana? Qual seleção de futebol desse continente possui mais jogadores brancos que o time da França? Nessa edição,  entenda o escravismo africano; saiba por que um continente tem quase metade dos seus países em guerras civis; conheça a contribuição africana para a formação da cultura brasileira. Esse é apenas um aperitivo neste podcast que vai fazer você viajar do Egito à África do Sul, do Senegal à Somália. Pois vista sua roupa de safari e vamos nessa!

:-: NÃO QUER OUVIR A LEITURA DE E-MAILS? :-:
Caso não queira ouvir o “Correio da Roça”, pule para 14:49 minutos.

:-: SITE DOS CONVIDADOS: :-:
– Área Freak – Site onde está hospedado o Freak Cast de Oleno Petrere
– Mundo Podcast – Portal onde está hospedado o Telhacast, onde Igor Guedes é participante fixo
– A Via Filosófica – Blog onde está hospedado o Papo Filosófico de Márcio Etiane
– Lexcast – Novo projeto de Márcio Etiane

:-: COMENTADO NESTE EPISÓDIO: :-:
– WeCast para AndroidCLIQUE AQUI e faça sua doação
– As duas Áfricas (Brasil Escola)
– Entenda a epidemia de ebola na África (G1)
– As principais causas da fome na África (Mundo Educação)
– A AIDS na África do Sul (Brasil Escola)
– África: Continente possui maior número de conflitos armados (UOL Vestibular)

:-: PRÓXIMO NA PORTEIRA CAST: :-:
Previsão da publicação do próximo episódio: 30 de setembro de 2014.

  • Só pra zoar, FIRST! hahaha

    Depois eu volto pra comentar sério!

  • Rodrigo Montalvão

    Mais um excelente episódio!

    Me sinto menos ignorante em matéria de África depois dessa 1h, mas acho que precisarei ouvir uma vez mais. É um conteúdo muito rico e que merece ser apreciado com mais calma.

    Tive o prazer de visitar, no início de 2010, em Seul, a exposição África, do brasileiro Sebastião Salgado. Para quem, como eu, gosta de fotografia, contemplar os painéis dessa exposição foi uma forma singular de contato com um lado selvagem do continente. Salgado retratou não apenas uma realidade triste de fome e doença e episódios como o de Ruanda. Sua obra também mostra muita vida, movimento e… se me permitem o exagero: cor.

    Parabéns!

    Rodrigo Montalvão, Engenheiro, 32 anos, São Paulo.

    • Rodrigo Montalvão

      Heheh 32 anos não, agora já são quase 35. 🙂

    • Bem, agora sabemos sua idade, profissão e cidade, Rodrigo. Valeu mesmo, você sempre deixa suas impressões aqui nos comentários e isso é importantíssimo para continuarmos com o tema principal do programa mesmo após seu final.

  • Muito bom!!!

  • darli7

    Obrigado !

  • Parabéns! de novo, aliás… Mais um episódio rico em informação sobre o tema escolhido. Vocês, como sempre, cumprem o objetivo de um podcast, segundo meu entender, que é: “Você não pode terminar o episódio sem ter adquirido um novo conhecimento ou enriquecido um que já tenha!”. Um forte abraço para vocês

    • Percebi que você entendeu perfeitamente nosso objetivo. É isso aí.

  • Marcos

    Otimo cast, e sao poucos que falam sobre o assunto em seus diversos aspectos historicos, etnicos e culturais. Sera compartilhando e divulgado na pagina Negritude no face. Um abraço

    • Valeu pela divulgação, Marcos. A propagação do programa é essencial para que ele cresça.

  • Jessica Zanelato

    Olá, pessoal.
    Dessa vez não vou esquecer. Sou de Florianópolis, trabalho como desenvolvedora web e tenho 23 anos.

    Sobre o cast: mais um tema super interessante e muito bem abordado. Mais uma vez trouxeram dados e informações não triviais.
    Dica de tema: Preconceito, como vive e se reproduz.
    Sugiro esse tema pois vocês são mestres em destruir preconceitos, então seria interessante ouvi-los falando sobre essa praga humana.

  • Mais um excelente episódio.
    Me arrepiei quando, perto do final, o Igor cita Gilberto Freyre para dizer o quanto os africanos “adocicaram” a nossa língua. E, realmente quantas palavras belas.
    No podcast anterior acenderam em mim a vontade de investir mais em aprender espanhol e agora a conhecer mais esse continente que é tão marginalizado por, eu diria, todo o mundo.

    Obrigada e continuem o ótimo trabalho.

    • … e isso porque o Prof° Igor citou apenas alguns exemplos de verbetes africanos incorporadas a língua brasileira, hein.
      A África tem várias opções para viagens legais. É só ter em mente o tipo de turismo que você procura. Mas pode ter certeza, tem para todos os gostos.

    • “Bienvenida a nuestra mayúscula América!” – El Che

  • Ronaldo

    Já ouvi alguns dos seus podcasts mas é a primeira vez que eu comento. Episódio sensacional, muita qualidade e informação, fiquei de queixo caído com a história da Libéria, nunca imaginei que estava ligada a questão da escravidão dos Estados Unidos.
    Parabéns pelo trabalho.

    • Obrigado, Ronaldo. E, de fato, a história da independência da Libéria é bem interessante. Como estamos presos a duração do podcast, apenas citamos rapidamente. Recomendo que procure mais sobre o assunto, pois vale a pena.

  • Fala galera, agora sim, ouvi o episódio agora a pouco!
    Bah, que cultura rica que por preconceito e medo o mundo deixa passar, é lamentável o que fizeram com a Africa ao longo dos séculos, escravidão, desmatamento.
    Oleno e Igor Guedes fazendo ali uma batalha pra ver quem traz melhores informações, achei muito legal e bacana para o programa.
    Realmente é um continente bonito, tem muitas guerras, dificuldades, doenças, mas eu gostaria de conhecer sim, seja Angola, Egito ou até mesmo o mais seguro imagino eu a Africa do Sul, ahh Charlize ahhhh!
    Achei interessante no final o Igor falando sobre os escravos trazerem plantas pra cá, sendo que vinham acorrentados e não tinham direito a trazer nada, fiquei pensando que no colégio as vezes isso era comentado, que grande mentira realmente!
    Grande programa pessoal, abordaram o tema com clareza e todos explicaram muito bem.
    Muito obrigado pelo ótimo podcast!
    Abraço

    • Pois é, essa “bagagem” que os escravos trouxeram da África é algo bastante inusitado e interessante, eu nunca havia ouvido falar sobre isso. O fato é que, hoje, faz parte da cultura brasileira.

    • Fala Brother!

      Que bom que você gostou!!! e eu já disse isso várias vezes, eu adoro gravar com igor e com o etiane, são caras super inteligentes e que mesmo nos casos on de discordamos, sempre da pra ter uma discussão franca e bem argumentada!

      Abraço!

  • Rosemeri Barcelos

    Episódio muito bom,cheio de informações ,fatos históricos apresentados de maneira simples e (quase 🙂 ) imparcial.
    Realmente não sabemos nada sobre sobre esse continente!Quando estudava Letras teríamos que fazer um trabalho de Literatura sobre obras africanas e eu soltei essa pérola do pré-conceito+desconhecimento:”Autores africanos?Mas e tem Literatura na África!?”
    Nos acostumamos a ver ou só “filmes de selva e safári” ou só notícias de guerra civil e epidemias mortais… daí achar que África=atraso !
    É sempre bom ser apresentado ao resto do mundo como ele é.
    Já que não dá pra viajar e conhecer in loco,quanto mais informação mais conhecimento e mais conseguimos olhar além dos nossos próprios umbigos.
    Parabéns
    P.S. O próximo comentário é uma crítica-desabafo que não invalida minha apreciação pelo episódio. 🙂

  • Rosemeri Barcelos

    “… mas são justamente os fundamentalistas cristãos que tão impondo isso aí.” (criminalização do homossexualismo).
    A) Claro… o mal do mundo é o cristianismo:queimou bruxas,atrasou o desenvolvimento das Ciências (Galileu foi obrigado a renegar o Geocentrismo!),TODOS os padres são pedófilos,TODOS os cristãos apoiam enforcar homossexuais!
    B) TODOS os muçulmanos são homofóbicos, TODOS os muçulmanos incentivam a mutilação genital das mulheres, TODOS os muçulmanos apedrejam adúlteras até a morte (viúvas que se casam novamente são consideradas adúlteras!).

    Com qual das afirmações você concorda?Qual a mais certa? A ou B?
    Depende da sua ideologia ou fé (ou falta de). Quando as pessoas vão deixar de ver o mundo sob uma única ótica? Sou a favor que cada um faça o que quiser com seu corpo: leve-o para a cama com alguém do mesmo (ou do outro) sexo, ou leve-o para uma igreja, templo ou mesquita!
    A Igreja foi sim responsável por muita coisa ruim, mas não é, NO MOMENTO, o Cristianismo que sequestra e escraviza jovens em nome da religião, que decapita pessoas usando a religião como justificativa, que explode turistas em nome da religião!
    Os que odeiam o Cristianismo enchem a boca para falar em “reparar injustiças históricas”… e as injustiças que ainda não viraram “históricas”, que estão acontecendo agora?Não tem valor nenhum?Não devem causar indignação?
    Deixa pra lá… falar contra radicalismo islâmico é coisa de direitista,conservador reacionário(quem sabe até um dinossauro remanescente da Marcha da Família com Deus pela Liberdade)!
    Sem contar que muçulmano pode te explodir em nome de Alá, já os cristãos… pode chutar a vontade que ninguém reage como disse o “bravo” Fabio Porchat: “Eu.por exemplo,não faço piada com Alá e Maomé porque não quero morrer!Não quero que explodam minha casa só por isso(risos)” http://cultura.estadao.com.br/noticias/geral,no-brasil-nao-ha-bons-roteiristas-diz-fabio-porchat-imp-,1015517

    Homossexualismo é crime castigado com a morte em cinco países
    Estudo da ILGA diz que a “homofobia de Estado” é incentivada por 72 governos
    http://noticias.r7.com/internacional/noticias/homossexualismo-e-crime-castigado-com-a-morte-em-cinco-paises-20090929.html

    Irã 99,9% islamismo
    Iêmen 99% islamismo
    Mauritânia 99,1% islamismo
    Arábia Saudita 92,83% islamismo
    Sudão 71,4% islamismo
    Somália: Islamismo 98,5%
    Nigéria: 40% cristianismo, 50% Islamismo.
    http://www.brasilescola.com/
    http://atarde.uol.com.br/cultura/exposicao/noticias/mostra-critica-a-homofobia-no-ira-1600905

    P.S. Perdão pelo comentário off-topic mas é que me enfurece – o distinto podcast não permite um linguajar mais “contundente”  – saber de tantas atrocidades cometidas por esses loucos que se escondem atrás do Profeta e ouvir “intelectualóides de facebook” (não me refiro diretamente ao convidado) repetir sempre o mesmo discurso de ódio a uma Igreja que já se perdeu no tempo, berrando contra o que FOI,enquanto silenciam cinicamente sobre o que É!

    • Quanto a resposta à sua pergunta, nem A, nem B. Durante o podcast, o Márcio falou sobre os cristãos FUNDAMENTALISTAS, ou seja, ele separou em um “nicho” quem faz tais atrocidades. Ou seja, nem todo cristão tem essas características citadas e nem os islâmicos também. Quanto nossa visão ao islamismo, ocorre o chamado “relativismo cultural” – muitas de suas ações vão contra nossa ética, parte influência judaico-cristã, eu reconheço. Pessoalmente, acho atrocidades sem tamanho vários de seus atos; entretanto, creio que isso são problemas internos que a própria população local deve resolver. Como eu disse, alguns preceitos de grupos radicais islâmicos são totalmente incompreensíveis e condenáveis por nós e por isso nós damos “menos” atenção e uma ideia de “normalidade”.

      • Rosemeri Barcelos

        Mas o meu ponto é essa quase “ira santa” que muitos devotam a Igreja Católica.Eu não concordo com muitos pontos do Catolicismo.Por exemplo:padres deveriam casar- eliminaria essa monstruosidade chamada pedofilia , em cuja imensa maioria dos casos as vítimas são crianças do sexo MASCULINO,o que me leva a algumas conclusões as quais não exporei aqui.
        Sei que existem componentes culturais em muitos dos exemplos que citei mas não seria também “cultural” a posição da Igreja Católica?É a “cultura” do Catolicismo. Além do mais não existe comparação entre uma religião(ou fundamentalismo religioso) que enforca gays e outra que diz que homossexualismo é pecado mas NÃO DIZ que gays devem morrer por isso.
        Aí você me diz:”Mas o católicos usam isso para discriminar os gays.”Não, os HIPÓCRITAS usam isso para justificar
        seu preconceito estúpido! Tome a questão da camisinha por exemplo:”A Igreja proíbe o uso da camisinha…então AIDS e outras DSTs vão aumentar por causa disso.” Bem,se vc obedece a Igreja e não usa camisinha TAMBÉM obedece a Igreja e não faz sexo fora do casamento e…voilà…sem AIDS!Seja católico por completo ou então não seja,simples assim.A Igreja também diz que casamento é um só,mas nem por isso “católicos” deixam de separar e “viver em pecado” com um novo par.Eu não acho que a Igreja tenha que se modernizar;se não me serve eu mudo de religião ou fico sem nenhuma.É essa hipocrisia que me deixa puta da vida,essa gente posando de defensores do iluminismo da razão contra o obscurantismo da fé…desde que a fé seja Católica!

    • Qualquer fundamentalismo religioso, seja ele de qualquer natureza, quando propõe humilhar, expor, ferir, ou matar um ser humano por pensar diferente já perdeu sua coerência e seu sentido de existir.

      Gosto de Cristo, não gosto muito é do cristianismo praticado pela maioria das pessoas!

    • Me permitindo adentrar na discussão, acho que essas coisas todas tem que ser vistas dentro do seu contexto e numa linha do tempo.

      Concordo que o islã é utilizado largamente como pretexto por fundamentalistas e que o modo de vida desses povos muitas vezes nos agride pois nós ocidentais temos conceitos de humanidade diferente deles. mas você já parou pra pensar o grau de ofensa que você comete a um hindu quando morde um simples hamburguer? essas relações ão muito complicadas…. sem contar que aa própria igreja católica na opinião de alguns grandes acadêmicas atrasou o desenvolvimento tecnológico e de conhecimento do mundo por pelo menos uns 300 anos com várias posturas como a inquisição e etc…

      enfim, são temas muito complicados, e qualquer tipo de fundamentalismo – qualquer um – é perigoso e deve ser combatido na minha opinião.

      Abraço!

      • Erick Campos

        Olá a todos.

        Sinto que voce tem uma visão de povos “estranhos” como exóticos e ceios de particularidades que os fazem ser muito diferentes de nós. Eu sou a favor de reduzir todos os povos aos mesmos padrões de conduta e ética que os da civilização ocidental porque nós temos (apesar de nao praticarmos) o privilégio de termos desenvolvido padroes altamente coerentes e avançados.

        Então cultura nao justifica nada e deve ser combatida sempre quando prejudicial.

        Pra te mostrar como pessoas são só pessoas eu trouxe uma curiosidade sobre a India, que é algo presente em seu texto: eles são um dos maiores exportadores de carne bovina do mundo.

        http://g1.globo.com/mundo/noticia/2013/07/india-do-culto-as-vacas-a-maior-exportadora-de-carne-bovina.html

  • Sinto-me na obrigação de comentar. Às vezes tento imaginar o quanto levaram uma vida estudando e observando, não somente sobre o tema, para nos presentear com excelentes aulas.
    Gostaria de citar dois escritores, o moçambicano e angolano, Mia Couto e Agualusa, que juntamente com outros autores africanos tem feito um intercâmbio literário interessante com nosso país, afinal, temos muito em comum.

    • Somos tão ligados com escritores lusófonos africanos que nunca ouvi falar de ambos. Procurarei algo e fica registrado sua observação. Obrigado.

  • homero luz

    Já tem muito tempo que queria ouvir um podcast com esse tema, muito bom conhecer um pouco mais sobre esse continente, não lembro de ver em outros casts esse tema tratado com o devido respeito assim como sobre povos pré-colombianos.
    O fato de muito “nobres” serem escravizados foi bastante comum, como nasci em Pelotas, cidade originada com mão de obra escrava, tem muitos descendentes de escravos e por suas a religião de matriz africana é muito presente, muito terreiros se denominam nações demonstrando que o fundador era um chefe tribal de uma nação africana, teve um mini documentário da TV local de lá sobre o príncipe negro um desses chefes que veio como escravo e acabou liberto e registrou alguma coisa coisa sobre sua cultura nativa. No mais obrigado por mais um cast

    • Nunca imaginei tal cenário no Rio Grande do Sul, Homero. Afinal de contas, creio que a região remete à colonização européia, principalmente por alemães e italianos. Mas valeu pela curiosidade interessantíssima.

      • homero luz

        Então Randal, desviando um pouco do assuntol, em parte é assim, mas a região de Pelotas, Porto Alegre e fronteira é de colonização portuguesa e a fronteira foi conquistada dos hermanos, logo teve muita mão de obra escrava, e Pelotas em particular foi fundada no ciclo do charque para produzir tal alimento, inclusive o nome da cidade vem de uma embarcação puxada por escravos a nado.
        E esse desconhecimento é normal em um país do tamanho do nosso é muito difícil saber peculiaridades de todos estados.

  • rafaeltaira

    um continente com 53 países cheio de negros,brancos. E que as fronteiras maiorias são linhas retas.

  • Rafael Arantes

    Primeira vez que escuto esse podcast e já vou me tornar um ouvinte assíduo.
    Se a primeira impressão é a que fica vou continuar adorando esse cast. Parabéns, ganhou mais um ouvinte, podcast sensacional.

    • Obrigado, Rafael. E reforço o convite, continue conosco e ouça as outras edições.

  • wagner

    Parabens, comecei a ouvir através dos comentadores e desde então é com certeza um dos meus podcasts favoritos!!!

  • Fiquei um tempo sem conseguir comentar e escutar o Na Porteira devido a uma bateria de provas na faculdade. Muito bom voltar e escutar e ver o programa mantendo o alto nível das discussões. África é sempre um bom tema a ser discutido, porque é rodeado de preconceitos, e parece que o nosso sistema de ensino não se preocupa em modificar o pouco conhecimento que temos acerca da história desse continente tão rico.
    Lembro que quando era mais novo, adorava ver os documentários do Discovery sobre os grandes parques e reservas africanos.

  • Nerdanderthal

    Como sempre, mais um tema de muito interesse.
    Quanto mais eu penso que muito sei, mais aprendo com vocês!

    Ótimo episódio.
    Recomendo, como complemento ao cast, assistirem a um ótimo documentário chamado África Extraordinária (Amazing Africa).

    Depois de tudo que ouvi no programa, me questiono se chamar um irmão brasileiro de cor negra como “afro-descendente” é uma forma de elogio, de humilhação, uma incoerência ou uma forma “disfarçada” de dizer que eles fazem parte de um grupo separado dos brancos.
    A África é linda, os africanos também, sejam brancos, negros ou de qualquer etnia.
    Ser africano, não significa ser negro.
    Muitos de nós brancos, podemos ser afro-descendentes também e com muito orgulho.

    Abraço à equipe e parabéns!!!!

    • Nerdanderthal

      Desculpem, mas o documentário que postei é somente sobre animais africanos.
      O que eu queria recomendar trata-se de
      http://www.youtube.com/watch?v=c1P884OBMIk

      • Obrigado pelas dicas de vídeos, Nelson. Esse material extra enriquece o post e serve para que ouvintes que querem saber mais sobre o assunto.

  • Saulo R. Salviano

    Um dos melhores cast do na Porteira,muito informativo e com um dos melhores finais de podcast que eu já ouvi.

  • Saulo R. Salviano
    • Quanto ao final do podcast, dê os créditos ao Igor Guedes, pois ele foi o responsável por direcionar a discussão para aquele rumo e ele trouxe as principais informações.
      Quanto o problema em sua caixa de comentários, sobre ela há os dizeres “Você está logado como (seu nome). Log out »”. Pois clique em “Log Out” e insira seu outro nome e E-mail.
      Realmente, faltou indicar o tempo necessário para ignorar o “Correio da Roça”. Corrigindo o post. Obrigado pela observação.

  • Um ótimo episódio!
    .
    Queria abordar um tópico, mais precisamente algo que foi falado e que faz jus, infelizmente, à “máxima” atribuída a Goebbels: “Uma mentira dita mil vezes, torna-se verdade.”
    .
    Foi falado que a Igreja afirmava que os negros não tinham alma e que inclusive havia (na verdade há, pois dogmas católicos são perenes) encíclicas apoiando a escravidão. Poderia me citar tal bula papal?
    .
    Na verdade essa é uma mentira renascentista que perdura como verdade, ela deveria já ter sumido se as instituições de ensino ensinassem ao invés de doutrinar.
    .
    Fatos que derrubam rapidamente essa calúnia:
    .
    Uma lógica simples, a igreja enviou missionários e mais missionários para converter os africanos, como converter ao cristianismo alguém que não tem alma? Isso já seria necessário para derrubar essa acusação, mas vamos aos fatos:
    .
    O Papa São Calisto além de negro era um escravo liberto. Isso em 217 d.c!!!!!!
    .
    Como poderia a Igreja, como afirma os enganadores, menosprezar os negros, se entre tantos santos negros, que enriquecem sua hagiografia desde os primeiros séculos, estão os santos negros: S. Maurício, Sta. Mônica, Sta. Efigênia, S. Antônio de Cartageró, S. Elesbão, S. Benedito, S. Serapião, S. Fulgêncio, Sta. Pérpétua e Sta. Felicidade, S. Adriano, S. Moses, S. Menas do Egito, S. Atanásio, S. Marcelino de Cartago, S. Nicolau, Sta. Bakita, S. Frumencio, S. Pacômio, S. Eugenio de Cartago, S. Antão, S. Cipriano, S. Martinho de Lima (“mestiço”), S. Pedro Claver, Sta. Sara Kali, Sta. Maria-Clémentine Blessed Anuarite Nengapeta, S. Timóteo, Sta. Maura, S. Daudi Okelo, S. Jildo Irwa, S. Metódio Domenico Trcka?
    .
    Os dois maiores Doutores Católicos, Santo Agostinho e São Tomás de Aquino eram negros, inclusive o primeiro era africano.
    .
    O Concílio de Nicéia (ano 325), o primeiro que a Igreja realizou, afirma que escravos haviam sido admitidos ao sacerdócio.
    .
    Em uma Carta do Papa João VIII, datada de setembro de 873 e dirigida aos Príncipes da Sardenha, ele condena veemente a escravidão.
    .
    O Papa Pio II, em 7 de outubro de 1462, condenou o comércio de escravos como magnum scelus (grande crime).
    .
    Já no século XVII O Papa Pio VII (1800-1823) enviou uma Carta ao Imperador Napoleão Bonaparte da França, em protesto contra os maus tratos a homens vendidos como animais.
    .
    O mesmo Sumo Pontífice se dirigiu a D. João VI de Portugal nos seguintes termos:
    .
    “Dirigimos este ofício paterno à Vossa Majestade, cuja boa vontade nos é plenamente conhecida, e de coração a exortamos e solicitamos no Senhor, para que, conforme o conselho de sua prudência, não poupe esforços para que… o vergonhoso comércio de negros seja extirpado para o bem da religião e do gênero humano”.
    .
    Há inúmeros e inúmeros documentos que derrubam essa tese, essa mentira propagada descaradamente.
    .
    Agora onde está a bula papal a favor da escravidão. Ah vou adiantar-me, pois os professores dizem: A Bula Dum Diversas.
    .
    Os historiadores que usam essa bula são tão desonestos que cometem o pior erro que um historiador pode cometer: ignoram o período histórico da época.
    .
    Essa bula permitia que os portugueses subjugassem e capturassem os sarracenos, ora conforme expressa Robert Davis, professor de história da Ohio State University de longe isso foi uma busca por escravos, na verdade era uma resposta de guerra a mais de 1 milhão de brancos escravizados pelos mouros. Podem os portugueses terem se aproveitado do fato? Claro, sem dúvida se aproveitaram, mas nem por isso a igreja calou-se e continuou condenando a escravidão. Inclusive Pio VII também muito se empenhou para que no Congresso Internacional de Viena (1814-15) a instituição da escravatura fosse condenada e abolida.
    .
    Agora sabe quem apoiava o escravagismo? O queridinho dos historiadores ateus e anti-católicos, Voltaire, que lucrou bastante com o tráfico negreiro.

    Bem, era isso, queria contestar essa informação passada no podcast, no mais tenho gostado muito de ouvir o NPC e sempre que eu discordar de alguma coisa virei aqui para debatermos, pois é assim que crescemos.
    .
    Abraço.

    • Leia o artigo do professor Sérgio Vasconcelos e você vai perceber que a postura da Igreja diante de escravidão, judaísmo, homossexualismo sempre variou e seguirá variando de acordo com contextos.

      • Ah Igor, todas as vezes me recomendam esse artigo, seria um bom artigo se sua base de ataque já não tivesse sido refutada há muito tempo por duas das mais brilhantes mentes católicas que esse país já teve: D. Estevão Bettencourt e o Prof. Orlando Fedeli. Os textos podem ser encontrados no site da revista “Pergunte Responderemos”, no site da “Associação Cultural Montofort”, há também alguma coisa no meu finado blog “In Praelio”.

        Sinto muito mais ganharam um ouvinte que sempre afirma “Meu professor de história mentiu pra mim”, portanto, de vez em quando estarei aqui contestando e também disposto a aprender.

        De toda forma obrigado pela resposta.

        • Pois conteste, Jefferson! O Na Porteira está aqui pra isso mesmo, pois nossas opiniões não são verdades absolutas e queremos SEMPRE incentivar o debate. Se o ouvinte tem outro ponto de vista ou outras orientações, devem ser expostas aqui sim.
          Busquei vários textos sobre o que você escreveu, há mesmo uma corrente que defende o que você expôs. Dá um podcast interessantíssimo só sobre o assunto.

  • Thiago Sirino

    Baixando, ouvindo a comentando!!
    Embora ter adicionado o NPC faz um tempo no Itunes faz apenas 2 semanas que comecei a ouvir. Comecei a ouvir desde o primeiro “Séries de Ficção Cientifica”, mas foi no episódio “Reflexões sobre a podosfera” onde parei e pulei para o episódio “África” pois apesar de ouvir alguns Cast (99Vidas, Papo de Gordo, Café Brasil) somente no episódio “Reflexões sobre a podosfera” percebi que somente ouvir o Cast para mim não é suficiente, comentar é participar e ajudar o Cast. Estarei ouvindo os episódios pulados pois estou curtindo o Cast.
    Então vamos ao meu primeiro comentário …
    Randal e Sacuti, parabéns pelas informações e abordagens que o cast teve nos temas levantados, consegui absorver muitas informações uteis sobre um continente que não tinha ideia de sua grandeza.
    Até a próxima.

  • O que falar de vocês?

    Sinônimo de qualidade como sempre. Um episódio desse pode ser facilmente transmitido para uma sala de aula que o conteúdo seria facilmente assimilado. Confesso que aprendi muitas coisas que não sabia sobre a África, foi realmente incrível.

    Parabéns pela iniciativa e conteúdo! E ótima escalação de equipe também!

    Abraços pra vocês, amigos!

  • Pessoal, aprendo muito e conheço muitas coisas com vocês. Parabéns pela qualidade de mais esse podcast!

    Abraço
    EddieTheDrummer (PADD)

  • Marcelo Alexandre

    Olá, ouvi recentemente o episódio sobre a África e já foi o suficiente para me inscrever no podcast para ouvir os demais. A Qualidade da discussão é excelente. Agora gostaria de saber quais as músicas que compuseram a trilha sonora do episódio. Abraço

    • Randal Bergamasco

      Quais as faixas? Você tem o tempo que elas são executadas?