NPC 45 – Esportes e manipulação

Randal Bergamasco 17 de junho de 2014 36
NPC 45 – Esportes e manipulação

Reproduzir

ATENÇÃO: Esse programa utiliza o esporte como plano de fundo para entender vários aspectos históricos, econômicos e políticos. Recomendado mesmo para aqueles que não acompanham futebol ou qualquer outro esporte.

Bem amigos do Na Porteira Cast, voltamos em definitivo para mais um episódio! E em clima de Copa do Mundo, falaremos hoje sobre a influência dos esportes (não só futebol) sobre as massas. E para compor nossa mesa redonda, Randal Bergamasco (@randalberga) e Alexandre Sacutti (@IzavanSacutti) recebem Oleno Petrere (@ndox138), Igor Guedes (@professorigor) e Anderson Nogueira (@ofinodabolanet) para discutirmos a relação entre ESPORTES e MANIPULAÇÃO. Como o dinheiro influencia as modalidades esportivas? A política também aproveita dessa popularidade? Nesta edição, entenda por que há “heróis esportistas”; conheça as verdadeiras intenções de Hitler nos Jogos Olímpicos de 1936; vá até a África do Sul para compreender como Mandela usou o Rugby para unir brancos e negros; é plausível um ditador argentino fraudar o resultado de uma Copa? E é possível falarmos de esportes sem envolver política ou dinheiro? Pois sente-se em seu lugar na arquibancada, pois o jogo vai começar! E não deixe de vaiar ou aplaudir no decorrer da partida através do Twitter, Facebook, E-mail ou nos comentários.

:-: NÃO QUER OUVIR A LEITURA DE E-MAILS? :-:
– Caso não queira ouvir o “Correio da Roça”, pule para 16 min.25 sec.

:-: SITES DOS CONVIDADOS: :-:
– Mundo podcast – Portal onde está hospedado o “Telhacast”, podcast que Igor Guedes participa
– Ao Sul do Capital – Blog de Igor Guedes sobre a América Latina
– Área Freak – Podcast onde Oleno Petrere é host
– O Fino da Bola – Blog onde está hospedado o “Papo do Fino”

:-: COMENTADO NESTE EPISÓDIO: :-:
Os atletas mais bem pagos do mundo em 2014 (Esporte Interativo)
– Preço de anúncio no intervalo do Super Bowl supera US$ 4 milhões (G1)
– Papo do Fino 152 – Boxe
– Corpo de vereadora filha de Pelé é enterrado em Santos (Folha Online)
– O lado polêmico de Senna: brigas, acidentes e arrogância nos bastidores (Uol)
– Ronaldo: confusão com travesti no Rio (Globo Esporte)
– Papo do Fino 146 – Esporte e Política
– Papo do Fino – Copa de 1978
– Gols de Argentina e Peru na Copa de 1978 (YouTube)
– Freakcast 18 – A história das Copas do Mundo (com a participação de Randal Bergamasco)

:-: PRÓXIMO NA PORTEIRA CAST: :-:
– Previsão da publicação do próximo episódio: 10 de Julho de 2014.

  • Olás!

    Comecei a escutar agora, e já vou protestar:
    Este podcast está com cara de coisa manipulada, pois além de ser o número 45, não tem um só corinthiano na mesa!!
    Humpf…

    abraço

    Nilda
    (depois volto pra comentar direito, mas a zoeira falou mais alto)

    • A gente não quis convidar algum corintiano porque ficamos com medo dele roubar alguma coisa do podcast (momento Zé Graça).

  • Rubens

    Grande Randal e Sacuti mais uma vez um ótimo cast… Essas manipulação faz comprovar aquela frase que o poder corrompe e manipula. Um exemplo é o que está pra acontecer .. Brasil ganhou da Croácia e empatou Hj contra o México… Será que ninguém vai ter uma “conversinha” com o pessoal de camarões falando do perigo que pode ser se o Brasil cai nessa fase?,já imaginou o caos que isso poderia desencadear?
    Um grande abraço e saudade da terrinha

    • Do jeito que está essa copa, não vou estranhar se o Brasil cair na primeira fase.

  • O que rolou aqui em Recife e região nada tem a ver com protestos ou manifestações. Foram literalmente saques que ocorreram em ruas comerciais durante a semana em que a Polícia Militar de Pernambuco esteve em greve.
    .
    Claro que houveram saques na época dos protestos, mas não foi o caso comentado no episódio. =)

    • Foi só uma zoeira com você, Thiago. Você acha que a gente iria perder a oportunidade?

  • Sensacional podcast! Muitas vezes meus parabéns a todos! Gostaria de falar um pouco também, mas estou escrevendo um artigo e, seu programa tem tudo haver com o assunto. Estou terminando e usarei seu programa como fonte de pesquisa. Posso colocar o link aqui em comentários Randal? Não tem problema se não puder, estou muito feliz pelo que aprendi e por saber que tem pessoas que pensam como eu. Grande abraço!

    • Esteja a vontade para usar o podcast em seu artigo, Lucianno. E ficamos felizes em ter te agradado.

  • Olá A todos.

    Fui apresentado ao podcast através de várias indicações do podcast “os comentadores”.

    Muito boa a qualidade e os assuntos.

    Vamos ao tema.

    Sou administrador de uma revista on-line sobre escalada e montanhismo. Hoje somos o maior site outdoor do país.

    Com o crescimento acabamos de vivenciar TUDO o que vocês citaram a respeito de manipulação de feitos e resultados. Muito disso para agradar patrocinadores.

    mas para a escalada e montanhismo existe isso? Sim existe, e de uma maneira mais descarada como elogiar o artilheiro de domingo

    um bom exemplo é todo o circo armado em torno do Monte Everest. è o pico mais alto do mundo, mas não é nem de perto o mais perigoso, nem o mais dificil. E literalmente há uma escada que leva ate o pico, com Sherpas carregando a mochila. Até mesmo o trekking ao campo baso os turistas nem sequer dormem em barracas.

    Um bom exemplo é a apresentadora da Globo que exibe a Escaladora brasileira mais jovem a subir, mas na verdade posa de montanhista.

    Tudo pago pelas marcas que patrocinam este pseudo-atletas

    Sim, mas porque este glamour do Everest? Porque as agencias de turismo, e o governo do Nepal tem quase 60% da economia baseada nisso.

    Agencias cobram valores de automóveis para levar até la.

    Há montanhistas que realizam cume em várias montanhas, mas outros sites nao coloca em evidencia quem pratica.

    Isso para ficar no montanhismo.

    Os governos no inicio do século 20 pagavam fortunas para colocar herois nos picos do mundo. Para mostrar a expensão do império. Uma boa amostra está no filme “7 anos no Tibet” em que o protagonista está representando o governo na expedição ao tibet.

    O mesmo aconteceu para a antártida, e outras montanhas.

    Parabéns pelo trabalho

    • Não sabia que essas sacanagens existem no montanhismo, Luciano. Seu comentário COM CERTEZA vai pro próximo Correio da Roça. Debateremos ele no ar.

      • Randal

        Obrigado pela velocidade da sua resposta.

        Peço desculpas por ter escrito com muita pressa e ter perdido um pouco de coerência em algumas frases.

        Agora em casa (escrevi do escritório) pude ver que atropelei as idéias.

        Mas acredito que tenha entendido a idéia central de que feitos esportivos são feitos para manipular quem admira. Muito para também perseguir um sonho que sequer existe.

        Hoje há sim montanhistas que vão ao Everest para fazer cume, e logo em seguida virar palestrantes. Outros para se diferenciar vão à procura do “Seven Summits” com o mesmo objetivo.

        O objetivo é sempre o mesmo : realizar-se como palestrante, ou escrever um livro ou virar um programa de tv.

        Por exemplo no Everest há por ano mais de mil (!!) cumes durante a temporada. Devido à facilidade de chegar ao cume. No filme “High Tension” é denunciado esta mercantilização. O filme foi premiado em festivais de filmes outdoor no mundo inteiro.

        O cancelamento da temporada de montanhismo no Everest neste ano de 2014 teve um impacto tão grande na economia, que o governo do Tibet liberou para o montanhismo 104 outras montanhas que nem sequer eram liberadas. Incluindo aí um 8.000 ainda virgem.

        Uma manobra para no futuro a economia não ser impactada por outra tragédia.

        Há ainda empresas (brasileiras inclusive) especializadas em fazer este turismo em terras altas. Cobram em média R$25000 a R$ 30000 para isso. Nesta viagem saem passeando realizando trekking e nem sequer dormindo em barracas. Ficam em pousadas que existem nas pequenas cidades, chegam ao campo base do Everest que possui até mesmo sinal de celular e internet.

        O mesmo acontece com outras montanhas tidas como desafio humano e etc.

        Sou montanhista a 10 anos, além de manter o meu site a 8. Sei como é se superar em medo, dinheiro, trabalho, família e etc. Dos montanhistas que conheci, muitos reclamam deste circo armado em torno do “teto do mundo” que revistas vazias fazem cobertura, que televisões mostram como algo de desafio máximo.

        Tudo para gerar um glamour em cima de ir a um lugar que, anda-se sem peso, com máscara de oxigênio e anda-se por uma escada.

        Sim, o perigo da zona da morte existe. É inegável. Porém não somente isso faz uma escalada ser perigosa. Há fatores técnicos nunca abordados em nenhuma reportagem de ascenção ao cume. Porque a dificuldade técnica é nula.

        O montanhismo foi sim usado como propaganda dos governos nazista e totalitários do inicio do século. Para evidenciar que estavam nos quatro cantos do mundo. Desnecessário dizer que os próprios bandeirantes eram montanhistas, e eram pagos para expandir o território português a todo custo.

        A conquista da Antártida também tem o mesmo cunho expansionista, este pelo exército inglês.

        A própria visita a Machu pichu que era algo espiritual para um trekking longo e sofrido, virou um passeio de ônibus, que não há nenhum sacrifício, apenas fotos tiradas por turistas que podem ostentar que fizeram algo que na verdade não teve dificuldade nenhuma.

        Algo como um time do Acre ostentar um “deca campeonato”, ou um time de Rondônia exibir um “único time a ganhar 5 títulos invicto”. Títulos vazios de feitos esportivos sem importância real.

        Mais uma vez… Obrigado pela resposta rápida, e meus parabéns novamente pelo seu podcast.

        Virei ouvinte fiel pela qualidade apresentada

  • Thais

    Seleção brasileira que nada. Show de bola mesmo foi esse na porteira cast. Como sempre fugindo do lugar comum e trazendo assuntos pouco explorados e relevantes. Parabéns galera!

    • Ainda bem que gostou. Só deixando claro que nada contra o esporte (eu mesmo sou um entusiasta da Copa do Mundo), mas sim às vantagens políticas e financeiras que certos governos e instituições obtém através dele.

  • Aslanterna Verde

    Olá pessoal da roça,

    escuto o podcast de vcs há mais de um ano, e nunca tomei vergonha na cara de comentar. Esse episódio está DEMAIS!!! A discussão de vocês sobre esportes, alienação e manipulação de informações, e a hipocrisia da Copa foi a melhor que escutei de um grupo em alguma mídia digital nos últimos meses! SIM, o único podcast de discussão sobre a Copa que consegui escutar até o fim!
    Há tempos vcs se consolidam um dos podcasts mais relevantes politico-intelectualmente dos mais de 25 que acompanho, e esse número consolida dado posto. Certo, estou meio animado por finalmente ver alguém fazer uma comentário limpo de ufanismos teleguiados acerca desse megaevento mundial, que nossos políticos/empresários utilizam para enriquecer mais. Fico feliz que não seja o único a acreditar que o principal legado da Copa será uma grande dívida pública, assim como espero que esse podcast estimule uma reflexão aos ouvintes que estejam acompanhando a copa. Seja torcendo/animado (como muitos que vejo) , seja irritado/revoltado (como eu). E que vejam que os principais vilões dessa história não são o futebol, os jogadores ou a torcida mundial, e sim uma corja nefasta que organizou e elaborou esse mega evento mundial, através de um planejamento criminoso, obras superfaturadas beneficiando empresários e figuras políticas inescrupulosas, tirando da população a possibilidade de melhores serviços de saúde, segurança, educação, dentre outros… Tornando os brasileiros pobres, mais pobres…

    • Eu sou completamente maluco em relação às Copas; porém, não há como negar que o legado dela para o Brasil será mais negativo do que positivo. E obrigado pelos elogios.

  • Olá Randal,

    Sou eu novamente, já que você sempre se mostra aberto a sugestões de temas, gostaria de sugerir um especial sobre esportes radicais (ou como gostamos de dizer esportes de natureza)

    Caso seja um tema muito longe do conhecimento de cada um que conheça não somente sugiro como também me voluntario para participar.

    Poucos podcasts tocam no tema de “esportes de aventura” para leigos.

    Muita gente nos acha loucos, desajustados e uma modinha passageira, ou até mesmo desculpa para eco-chatos para fazer exercícios.

    Abs

    • E não é que é um excelente tema? Já foi para o nosso banco de pautas, voltaremos a conversar. E obrigado pela sugestão!

  • Fala Randal! Mais um ótimo programa (começar meus comentários elogiando vocês já virou rotina rs)
    Primeiro, gostaria de dizer que você errou de longe de onde sou rs Sou de Niterói, Rio de Janeiro! Sou flamenguista. Dizem que os flamenguistas são os corinthianos do Rio, mas me orgulho de dizer que sou uma regra à excessão. Sei que é chato pros outros times, mas acredito que o Anderson tem razão quanto a questão dos jogos que passam na TV. As emissoras antes de tudo visam o lucro, e infelizmente ele sempre vai pesar mais na balança. De resto, sou contra todos os favorecimentos da mídia ao meu time, pois reconheço que eles existem, afinal, não sou clubista. E também tenho vergonha de ídolos de um clube grande como Flamengo estarem envolvidos em coisas tão tristes como as citadas no programa. Bem, o ídolo de outros torcedores, pelo menos, porque meus ídolos não são jogadores de futebol. E também sou um entusiasta da Copa, assim como você Randal, apesar de estar bem menos ligado em futebol a um tempo já. Ah, e recomendo a vocês irem atrás do documentário “Memórias do Chumbo – O Futebol nos Tempos do Condor”.

    • Me desculpe mesmo, Padu. Eu deveria ter consultado as leituras de e-mails anteriores, onde você já tinha dito de onde era. Foi mal.

      • Paulo Eduardo (Padu)

        Que isso, Randal! Sem problema algum…

  • Henrique Salem

    Excelente programa e ótima participação de todos os convidados !
    Gostaria também de fazer aqui um pedido de desculpas pelas minhas críticas exageradas e inclusive equivocadas no cast anterior sobre “Os Incas” .
    Além de errar o nome do convidado a qual me referia , ainda fui injusto nas razões por mim apontadas que me motivaram a criticar .
    Reconheço .
    Sendo assim deixo aqui minhas desculpas para :
    Lucas Conrado , Jadson Moura e Igor Guedes .

    • Você não deve desculpas não, Henrique. Muito pelo contrário, você apontou algo que te incomodou e fundamentou. Eu mesmo concordei totalmente com você. Não deixe de comentar, estando de acordo com a opinião dos participantes ou não. Isso se chama LIBERDADE DE PENSAMENTO. Obrigado!

  • rafaelt

    tema fazer o queixo cair.
    Está na boca de todo o povo. desde que o futebol existe.

  • rafaelt

    Alias A formula 1 não tem um piloto Italiano desde o final de 2011. O último foi o Liuzzi e o Trulli.

  • rafaelt

    Acho que de 1960 a 1969 não tinha cobertura da F1 então. Porque não tinha brasileiros nesse período que foi de uma década.

  • rafaeltaira

    Se Argentina ganhar a copa vão querer botar o superfaturamento na conta do papa.

  • marcelo bmc

    Sensacional podCast.
    O Porteira Cast está no meu top10, juntamente com TelhaCast, este último que vem passando por um hiato sem fim.. uma pena, estou quase removendo dos meus feeds.

    Quanto ao ultimo programa, só quero parabenizá-los, principalmente por tudo o que foi dito por Igor Guedes.
    Não só o futebol mas qualquer esporte a qual a Globo detém direitos de transmissão, são glamourizados, muitas crianças hoje sonham em crescer e se transformarem em jogadores famosos e milionários mas o que poucos dizem é que esta é a realidade de uma minoria. O lado “obscuro” do futebol ninguém conta.

    A Copa do Mundo no Brasil é a maior prova de que o Governo não está nem aí para o povo. Enquanto muitos gritam “gol”, muitos estão passando fome, desempregados, sem casa pra morar, sem educaçaõ e principalmente sem saúde.

    Não gosto de esporte e muito menos de futebol mas respeito quem tem este problema.

    • Olha, Marcelo, eu particularmente gosto de esportes sim. Nesse período de Copa, por exemplo, até tirei férias do trabalho para assistir todos os jogos. Respeito os que não gostam de competições esportivas – o Sacutti é um dele e eu mesmo deixei claro meu respeito – só que conforme dissemos no programa, é impossível não percebemos que instituições governamentais e empresas se aproveitam de toda a imagem positiva gerada pelos esportistas para ou ganhar grana ou usá-los politicamente. Esse é o grande problema e que devemos saber separar muito bem.

  • gente ….ouvi o cast gostei muito como sempre , ai na parte das previsões de “guerra civil ” durante a copa e outras previsões catastroficas , abri mais uma latinha de cerveja e vou assistir a central da copa na grobo , hoje terminou a fase de grupos , e parace que a turminha do “não vai ter copa” tbem desistiu e esta vendo os jogos , apartir de agora vou assistir a copa no cinema , é uma delicia vocês deveriam ter esta experiência é sensacional! abraços a todos , vou dar minha previsão aqui , holanda campeã e roben o melhor da copa …abraços a todos

    • Pois é, Edu. Eu até disse no podcast que achava muito estranho as manifestações ocorrerem há um ano do mundial e que me cheirava política. Uma coisa é fato: o mundial está acontecendo nesse momento e é um sucesso. Sem problemas com os estrangeiros, que estão adorando, a mídia internacional não para de tecer elogios, nenhum problema de mobilidade. O que vai pegar depois, com certeza, é o superfaturamento das obras e o início do mundial sem as obras estarem acabadas. Porém, como o fracasso da Copa não aconteceu e toda a oposição deve estar dando pulos de raiva (como eu disse no podcast, não consigo separar todas essa algazarra com movimentos de partidos políticos), não acredito que aconteça mais nada não.

  • Olá pessoal!

    Mais uma vez, um excelente episódio!

    Não sabia que o Papo do Fino tinha episódios sobre outros esportes. Vou ouvir qualquer hora (sim, pq futebol só na Copa mesmo).

    É um absurdo o dinheiro que empresas e atletas levam com o esporte. Por isso que a mídia só foca em algumas pessoas, por exemplo (vejam o caso do Neymar nesta Copa).

    Gostei muito da análise histórica que vocês fizeram. E foi bem interessante ver qual era a percepção que vocês tinham antes da Copa e do que realmente acabou acontecendo. Eu tinha a percepção também que seria um caos. E por mais absurdo que seja, foi uma das Copas mais elogiadas lá fora dos últimos tempos.

    Valeu como sempre!

    Abraços!

    • Essa copa teve tantas zebras que até o decorrer dela foi uma surpresa. Começou como #NãoVaiTerCopa e acabou como #CopaDasCopas

  • Excelente programa e olha que eu não gosto de esportes mainstream mas a escolha da pauta e dos convidados deram um show de bola. Parabéns!!!

    • Que bom que gostou, Paulo. Nossa intenção foi justamente agradar os não amantes de esportes.

  • Em defesa do Barrichello, preciso comentar!
    Massa nunca foi melhor do que Rubinho! E Rubinho, por mais que tenha virado piada aqui no Brasil – que começou com o Casseta e Planeta – é um dos maiores corredores da F1!

    Ele foi duas vezes vice-campeão, é o quinto piloto com o maior número de pódios e guarda o sétimo piloto mais pontuado da história da F1.

    Ele era um ótimo piloto e só não foi campeão por não ter peito de enfrentar a equipe. Muitas vezes ele estava em primeiro e, a pedido da equipe, deixou Schummacher passar à sua frente. Se tivesse peitado a equipe, talvez tivesse ficado menos tempo na Ferrari, mas teria melhorado muito suas pontuações.

    • Concordo que Barrichello foi melhor que o Massa, Snaga. Porém, ele nunca passou de um piloto mediano que corria com um ótimo carro Pra mim, a gota d’água foi a temporada de 2009, quando Jenson Button colecionava bons resultados e o “Barrica” sempre ficava pra trás. A BAR tinha o melhor carro do grid com folga. Resultado: Button campeão e o piloto brasileiro, mesmo com o melhor carro, conseguiu acabar a temporada em terceiro. Essa temporada coroou a incompetência do Barrichello. Continuo a esperar um outro Fittipaldi, Piquet ou Senna.