NPC 38 – O mundo daqui a 50 anos

Randal Bergamasco 20 de janeiro de 2014 30
NPC 38 – O mundo daqui a 50 anos

Reproduzir

Data atual: 28 de janeiro de 2014. Data de destino: 30 de janeiro de 2064. Prontos para essa longa viagem? Pois em nossa trigésima oitava edição, o Na Porteira Cast avança no tempo e ruma cinquenta anos no futuro. E nesta viagem, em sua Delorean podcastal, Randal Bergamasco (@randalberga) e Alexandre Sacutti (@IzavanSacutti), acompanhados de Igor Guedes (@professorigor) e Diogo “Sr. Raspas de Gelo” (@diogo0587), vão apresentar como pode ser nosso mundo no futuro. Como será a geopolítica na segunda metade do século XXI? Os Estados Unidos ainda serão os “Reis da Cocada Preta”? E como será a tecnologia futurista? No programa de hoje, saiba por que a China pode ser a bola da vez; entenda por que estamos distantes de viagens no tempo, deslocamento a velocidade da luz e teletransporte; e torça para que o Brasil não seja eternamente “O País do Futuro”. Aperte seus cintos, segure-se firme e vamos nessa!
ATENÇÃO: Este programa é baseado em suposições dos participantes a partir do atual contexto geopolítico e tecnológico. Qualquer semelhança com o futuro é mera coincidência.

:-: NÃO QUER OUVIR A LEITURA DE E-MAILS? :-:
– Caso não queira ouvir o “Correio da Roça”, pule para 17 min. 57 sec.

:-: SITES DOS CONVIDADOS: :-:
– Mundo podcast – Portal onde está hospedado o “Telhacast”, podcast que Igor Guedes participa
– Mais1Cast – Podcast que o “Sr. Raspas de Gelo” participa

:-: COMENTADO NESTE EPISÓDIO: :-:
– PESQUISA DE AUDIÊNCIA 2014 – Encerrado
– Podkasto (Novo site agregador de Podcast)
– Tirinha sobre computadores citada pelo Igor (Forest Blog)
– Pouso da sonda chinesa na lua (YouTube)
– Twitter do Papa (Versão em Português)
– Juramento em cima do iPad! (CocaTech)
– Minds (Rede social de conteúdo – Em inglês)
– Projeto que promete viagem só de ida para Marte atrai 200 mil candidatos (Globo Ciências)
– Viajante do tempo flagrada em filme de Charlie Chaplin? (Ceticismo Aberto)

:-: PRÓXIMO NA PORTEIRA CAST: :-:
– Previsão da publicação do próximo episódio: 20 de fevereiro de 2014.

  • Susana Goicochea

    Muito bom e interessante, todas as questões puntuais, tenho que ouvir de novo.

  • Pessoal, pensando sobre a evolução armamentista de alguns países em relação a brasileira é simples de explicar: Cada um evolui conforme sua necessidade.
    .
    Não é a toa que em séculos passados os europeus evoluíram tecnologias de armazenamento de alimentos, vestimentas, meios de navegação ao passo que os índios na América não tinham esse tipo de necessidade. Aqui eles tinham tudo o que precisavam o ano inteiro e sem grandes mudanças climáticas.
    .
    Em relação as armas segue-se a mesma ideia, o Brasil nunca se envolveu em grandes conflitos. Se nossa realidade fosse a de tensão de guerra com um gigante como a Russia ou os EUA certamente nossas forças armadas seriam muito mais fortes.

    • Na verdade, Thiago, o Igor disse exatamente isso sobre a evolução armamentista; a diferença é que ele viu “pela ótica do copo cheio” e você observo “pela ótica do copo vazio”!

  • Meu comentário não foi postado às 11:20. Randal, verifica a hora correta do WordPress aí. 😉

  • Henrique Salem

    Show esse programa !
    O assunto é muito rico e vasto , daria até uma segunda ou terceira parte . Brilhante participação do Professor Igor Guedes .
    Um dos pontos abordados , sobre se os EUA continuará líder daqui 50 anos , penso na possibilidade dos americanos , para evitar a perda dessa liderança , sabotarem de alguma forma o país rival .
    Se é que já não fizeram isso num passado recente .

    • Sabotarem países rivais = acabar com o regime comunista na União Soviética, decretar embargos a Cuba e Coreia do Norte. Realmente, isso já aconteceu e continua a acontecer.

  • Eliana Rodrigues

    Pauta interessante, porém bastante complexa para se debater mesmo com convidados tão ilustres e que possuem embasamento acadêmico e empírico.
    O empírico aí foi por minha conta só para valorizar ainda mais seus conhecimentos. =)
    Mas mesmo assim eu não arriscaria um prognóstico social, econômico, político e tecnológico. Afinal, estamos falando de uma projeção para daqui a 50 anos. Penso que a probabilidade de acerto é muito remota até mesmo para eles que são especialistas no assunto. Vocês, sem dúvida, foram muito corajosos.
    Enfim, especulações à parte, parabéns Randal, Alexandre, Diogo e Igor pela excelente apresentação. O programa estava tão envolvente que nem vi o tempo passar.
    Muito obrigada e abraços!

    • Bem, a gente avisou que seriam especulações, Eliana! Mas acho que valeu a “brincadeira”!

      • Eliana Rodrigues

        Eu entendi que seria um bate papo baseado em especulações, Randal.
        Baseado = fundamentado, concreto.
        Especulação = sem consistência, abstrato, subjetivo.
        Enfim, paradoxal isso que eu disse, mas você também entendeu.
        O meu comentário anterior foi só a título de participação e não de crítica.
        Reli, pareceu mesmo uma insinuação de que vocês estavam sendo pretensiosos e peço desculpas porque não tive essa intenção.
        Um pouco de ficção ali era imprescindível por se tratar de um futuro distante, porém no geral agregou conhecimento e cultura. Aliás, como em todos os temas dos teus programas.
        Francamente gostei de tudo o que eu ouvi. Achei realmente fantástico! “Realmente fantástico”… é, confesso que sinto atração por paradoxos. =)

        • Fique tranquila, Eliana, a gente entendeu perfeitamente o que você quis dizer! Aliás, fazemos questão você sempre passe por aqui e expresse sua opinião.

          • Eliana Rodrigues

            Muito obrigada! Eu já ouvi vocês outras vezes mas não havia comentado.
            Ah, o relógio aí está marcando o horário lá da Arábia Saudita.

            • O Thiago Miro havia comentado sobre o horário errado acima, acabei me esquecendo de acertar. Na verdade, as configurações do WordPress apontavam “UTC+3′. Ajustei para “UTC-3”, nosso horário normal, desconsiderando o horário de verão. Obrigado.

              • Por isso que o Disqus é legal, Randal. Pra não acontecer do comentário ficar espremido aqui no cantinho. 😉

  • Fala pessoal! Sobre o tema religiões no futuro, tenho uma contribuição. Trabalho numa universidade jesuítica como jornalista e estava montando uma entrevista sobre teologia e mística nordestina. Uma das minhas perguntas falava sobre os desafios da “desespiritualização” do mundo. O diretor me explicou que não existe desespiritualização, muito pelo contrário. Os sem-religião, que hoje ocupam cada vez mais espaço na sociedade, não são os que renegam Deus, mas que não se identificam com nenhuma igreja,. Temos assim uma espiritualidade não-institucionalizada. Além disso, budismo, yoga, new age, e vários outros movimentos também experimentam o divino (não Deus, mas o divino) a sua própria maneira.

    • Olha, Andriolli, empiricamente falandoé possível percebemos esse fenômeno social. Conheço várias pessoas que se declaram cristãs ou apenas crentes em Deus, mas ao mesmo tempo afirmam que não são católicas, nem evangélicas ou nem seguem qualquer outra religião organizada.

  • Wilson Gustavo

    e ae Randal,tudo igual?

  • Olá amigos, tudo bom?

    Muito legal a ideia de fazer um podcast sobre o futuro. É claro, que isso é um pouco pessoal… Mas de qualquer forma, o que vocês falaram faz todo o sentido e é muito possível. Agora, tenho somente duas perguntas…

    Na questão religião, entendo a tendência da diminuição da religião no mundo,porém, a interferência da religião na política brasileira não vai um pouco contra este fator? Isso não acaba interferindo um pouco nesta questão, principalmente olhando o Brasil isoladamente? Achei que neste quesito vocês ficaram atrelados mais ao primeiro mundo e não olharam neste fator, até em outros lugares do mundo, como o oriente médio (por mais que isso tem mudado, vide primavera árabe).

    Outro ponto que achei que vocês não levaram conta: meio-ambiente. Isso até influencia a questão da exploração espacial, inclusive. (não pelos governos, que concordo totalmente com vocês, mas pela iniciativa privada). Eu sinceramente não sei como a nossa questão ambiental vai estar em 50 anos, inclusive para a condição do planeta. (vide a questão da energia nuclear no Japão, que pode destruir o planeta caso tenhamos um desastre natural de grande magnitude).

    Outro fator que eu penso, é a integração dos dados na nossa vida. Acho que seremos ainda mais integrados e sinceramente, acho que em 50 anos, iremos dirigir menos os veículos, por exemplo (talvez não no mundo inteiro, mas será algo mais comum).

    Mas são apenas pontos que pensei no decorrer do programa, gostei muito da visão de vocês.

    Abraços!

    • A gente não tocou nesses assuntos graças a duração do podcast, Gudima. Mas nossa intenção foi exatamente fomentar essa reflexão em cada ouvinte e fazê-lo pensar a respeito. Bem, acho que o objetivo foi alcançado, pois você mesmo acabou de listar três “previsões” por aqui!

      • Ah! Aí sim! Rs… Conseguiram então!

        Abraços!

  • Acabei de ouvir o episódio 50 do NPC e a sensação que tive foi de Orgulho Alheio. Pra mim no NPC atingiu o Estado da Arte, seja em relação aos temas abordados, à forma como são abordados ou os participantes.
    Ficou imensamente feliz em jã ter tido a oportunidade de ter gravado com todos e aproveito para pedir 100000000000000000 desculpa pela péssima qualidade do meu áudio no episódio anterior e juro que jamais viajarei sem levar meu HeadSet para gravar podcasts.
    Um grande abraço e precisando é só chamar !

    • Não se preocupe com o áudio, Marcio. E muito obrigado pelos elogios.
      Quanto a precisar dos seus “serviços” por aqui… vamos precisar o mais rápido que você possa imaginar! É sempre um prazer gravar contigo!

  • Daniel Lopes

    Fala tchurminha da Cancela mais culta das interwebs.

    Adorei mais uma vez o programa. Daqui a 50 anos é muito tempo, mas é ótimo cogitar a respeito.

    Ainda acho que os EUA vão ser a nossa influencia mundial, eles ainda estarão no ápice da economia e do poder bélico. O Capitalismo sobrevive de crises e este momento é apenas um Boom de emergentes que logo passará, Lembra-se dos Tigres Asiáticos que incomodava a economia americana, pois é, esta geração nem sabe o que é isto mais.

    Acho que a Religião vai sofrer uma queda, mas vai continuar por milênios, afinal o ser humano é um ser religioso.

    Acho que o serviço sob demanda e m nuvem vai ser o mote dos próximos anos, inclusive já estão trabalhando com computação em nuvem, onde o Hardware físico do PC é mínimo e toda a a computação é feita em nuvem.

    Redes sociais vão continuar por muito tempo, memes vão continuar. Memes são ideias compactadas, o ser humano é natural a este conceito. Se a rede social só tem porcaria e pouco conteúdo, isto é um exemplo do mundo real, mas cabe a você filtrar. A Rede é social, não estar se socializando é ser anti-social.

    Quanto aos protestos eu já sou mais radical. Não adianta protestar, fazer barulho se não há um plano de ação satisfatório. Um bom exemplo é a Argentina, que vai às ruas sempre, já tiraram tantos políticos do poder, fazer e refazem protestos e mesmo assim o país está numa draga econômica , num caos político, o governo tem de intervir no dólar pra evitar a quebra das divisas estatais, o país sofre com saques, desemprego, falta de recurso desenvolvedor de livre iniciativa e a grande proliferação das favelas e assentamentos. Protestar por protestar é inútil e perigoso, pois retira a seriedade do movimento de direito. Protestar para acua é ilógico, pois estes políticos nunca são os alvos, mas sempre querem ferir um alvo X. Grande exemplo é sobre o aumento de passagem no Rio e o Pessoal com cartazes de FORA DILMA, como se o transporte municipal fosse da alçada do Governo Federal. Protestar e tirar um político do poder para colocar outro político igual ou pior é terrível, é trocar o mosquito mas deixar a mesma merda ao ar livre.

    Acredito na evolução de gadgets pessoais, ou Wearable, aqueles cadgets que você veste.

    Há mais uma coisa que imagino para um futuro próximo, na evolução dos estudos relativos ao genoma humano, com medicamentos personalizável e com o isolamentos de determinadas doenças.

    Parabéns ao Podcast mais foda das Terras Brasilis.

    • A gente não falou sobre os avanços na medicina daqui 50 anos, Daniel. Muitíssimo bem lembrado!

  • Olá meninos do Porteira!

    Passei aqui só pra dizer que, novamente, este é um excelente programa.
    Obrigada pelas reflexões e o exercício de pensar o futuro que fizeram.

    abraços

  • Paulo Eduardo (Padu)

    Fala galera do na porteira. Peço desculpas por ter me atrasado pra escutar e comentar os dois casts mais recentes, mas com a volta as aulas da faculdade demorei um tempo pra conseguir abandonar o clima de férias e reorganizar meus horários.
    Quanto ao programa 38, já vou me abster dos usuais elogios, porque o alto nível continua.
    Bem, tenho duas observações a fazer. A primeira é que, ao contrário de quase todo mundo no cast, eu concordo com o Randal quanto às incertezas do futuro da China. Acho que apenas crescimento economico não é o suficiente pra fazer uma nação virar uma super-potência. Socialmente falando, a China não está nem perto de ser um grande país, e o alto grau de censura no país é outro ponto que pode atrasá-los, isso na minha humilde opinião.
    Ah, vocês citaram o futuro das religiões, rapidamente me lembrei de um trecho do livro “Como Vejo o Mundo”, do Einstein. Lá, ele cita os vários estágios da religião: desde a religião-angústia, dos primórdios da humanidade, até a atual religião-moral (vale a pena dar uma pesquisada nesse texto e entender o que ele quis dizer com esses nomes). Em última instância ele cita o que chama de religiosidade cósmica, em que o homem abandona o conceito de um Deus antropomórfico e parte para um conceito diferente, de integridade de todo o cosmos e de leis universais imutáveis, é bem interessante mas complexo demais pra ser resumido em um comentário, fica pela dica. Acredito que esse conceito do Einstein é o futuro das religiões.

  • Daniel Mendonça

    Este podcast me lembrou a Psico-história do Asimov!

    Abraços

  • Fala pessoal! Curti as “profecias” de vocês. E olha que, pela forma como vocês falaram, há grandes possibilidades de várias se concretizarem… Isso se Jesus não voltar antes, mas isso é outro assunto hehehe

    Episódio bom e divertido 😉

    Abraço
    EddieTheDrummer (PADD)