NPC 04 – Prosa sobre cinema

Randal Bergamasco 31 de janeiro de 2012 19
NPC 04 – Prosa sobre cinema

Reproduzir


No programa de número quatro do NA PORTEIRA CAST, RANDAL BERGAMASCOALEXANDRE SACUTTI HELTON DOS SANTOS trocam um descontraído papo sobre a sétima arte. Nesse podcast, viaje através do tempo e conheça a evolução do cinema, desde os Irmãos Lumière até os filmes 3D. E o NA PORTEIRA pergunta: quais seriam os três melhores filmes da sua vida? Conheça as películas favoritas de nossa galera. Aprenda um pouco mais sobre o cinema nacional e, afinal de contas, o uso de palavrões nas produções cinematográficas é válido? E saiba nossa opinião sobre a dublagem brasileira. Como você traduziria para português um filme de grande sucesso? Ouça e participe! Comente, tweete, envie seu e-mail!

:-: COMENTADO NESTE EPISÓDIO: :-:
– Telhacast
– Cemitério das Celebridades– O primeiro filme da história
– Viagem a Lua – 1902 (Legendado)
– The Story of the Kelly gang (primeiro longa da história): Parte 1Parte 2
– Metropolis – 1927 (Filme completo)
– Sinopse de “Donnie Darko” (2001)
– Sinopse de Pulp Fiction  – Tempo de violência (1994)
– Sinopse de “Vanilla Sky” (2001)
– Sinopse de “Star Wars” (1977)
– Sinopse de “Um drink no Inferno” (1996)
– Sinopse de “O Quinto Elemento” (1997)
– Sinopse de “De Volta para o Futuro (1985)
– Sinopse de “E.T. – O Extraterrestre” (1982)
– Sinopse de “Jurassic Park – Parque dos Dinossauros” (1993)
– O Caso Kelly Hopkinsville – A história que inspirou o filme “E.T. – O Extraterrestre”
– Trecho de “Acabaram-se os otários” (1929) –  Primeiro filme sonoro brasileiro
– Curta “O Retorno da Múmia”

:-: PRÓXIMO NA PORTEIRA CAST: :-:
– Data de publicação do próximo episódio: 27 de fevereiro de 2012 (segunda-feira)

  • Parabéns Randal, Sacutti e Helton!
    A edição está bem redondinha.
    “Gazeteiro” é uma palavra que caiu em desuso deste lado do Atlântico e era usada para definir aquele aluno que falta às aulas, o “turista” que falta à aula para ir ao shopping ou para tomar chope no boteco da esquina.
    Na minha época de colégio, era o sujeito que gostava de “cabular” aula.

    • Boa, Coveiro! Definitivamente, eu não fazia IDEIA que a gíria “Gazeteiro” tinha esse significado. E valeu pela força e pelos elogios!! E esteja sempre conosco!

  • Renata Pinto Ribeiro

    Gazeteiro… há tempos eu não ouvia isso!

    Mas há uma palavra parecida, que me define: GALHOFEIRA. Isso eu admito: eu amo uma boa galhofa!!

    Adorei o Podcast … além de que cinema é um assunto que me atrai bastante. Mas o melhor de tudo foi contar com a participação do meu heroi: Coveirinho Pop!!! Agora sim eu tenho a certeza de que ele existe de verdade…

    • Obrigado pela visita, Renata! E convido-a a ouvir mensalmente o NA PORTEIRA! Foi um prazer recebê-la aqui!

  • Igor Botero

    Aê Randal, muito bom o podcast. Sempre é bom falar/ouvir sobre cinema. Aliás, aproveitando o gancho do Sacuti, porque não um sobre anime?
    Abraços!

    • Ah, só de falar nesse tema o Sacutti já está babando!!! É só aguarda, já está em uma pauta futura, Igor!!! Falou, cara!!!

    • aff velho nem faz de anime , muito paia kkkkkk

    • Pra ser bem, bem sincero, Rafael, o tema “Anime” também não me encanta. Mas os ouvintes pedem esse tema com frequencia, fatalmente será o tema de um programa. Mas continue a nos enviar suas preferências, o feedback dos ouvintes é de suma importancia para gente. Obrigado!

  • Maria Cristina

    Muito bom, ganharam mais uma fã! E, como disse a Renata Pinto Ribeiro……GENTEEE…..O COUVE EXISTE!!!!!

    • Oba, existe e está bem vivo! Morto estão as celebridados do cemitério a qual ele toma conta!!! Obrigado e continue com a gente!!

  • Acho que se fosse usar a lógica Matrix seria “Mundo Virtual”ou colocariam um complemento no nome “Matrix:A Verdade do Mundo” srsrrsrsr

  • HAha Gostei Diego! Bem pensado!

  • Marcellus Soares

    Meus 3 filmes.

    Clube da Luta
    Um sonho de liberdade
    Poderoso chefão I

    Gostei muito da proposta do cast.
    Sou integrante do Telhacast, e editor do site http://www.cinemainformal.com (em breve em um site de verdade).
    Vamos marcar para falar um pouco mais de cinema (de algum filme especifico) lá no meu cast.

    Abraços e boa sorte.

    • Grande Marcellus! Conheço você sim, tanto do Telhacast quanto do Cinema Informal (sou ouvinte de ambos)! Prazer ter um comentário seu aqui! Eu topo participar do seu podcast sim! Minha especialidade são os filmes de ficção. Vi que vocês fizeram um cast sobre o Oscar, eu consegui assistir a 6 filmes dos 9 concorrentes a melhor filme. Mas a gente conversa e muito obrigado! Admiro seu belo trabalho tanto no Telhacast quanto no Cinema Informal.

  • Vou abrir o coração e desabafar aqui…

    Quem foi que inventou essa estória “boba” (para não ser ofensivo) da regra dos 15 anos??? Que absurdo pessoal!!!

    Vou contar aqui uma estória que e um ex-sogre meu me contou e achei muito mais plausível:

    Segundo ele, toda vez que assistimos um filme, o nosso inconsciente identifica simbolismos neste filme.

    Então nosso inconsciente faz com que nos apeguemos aos simbolismos que fazem falta em nossa vida.

    Logo o filme nos completa, por isso achamos ele bom!

    Então se nós assistimos um filme de romance e gostamos do filme, podemos concluir: “gostei do filme pois esta faltando romance na minha vida”

    15 anos depois re-assistimos o filme e a nossa vida obviamente mudou, se não gostamos do filme, podemos concluir: “Não gostei, pois o filme não tem mais algo que faz falta em minha vida.”

    Eu acho essa teoria muito mais condizente com a realidade do que essa regra louca dos 15 anos…

  • Opa Randal e Sacutti que episódio hein. Meus parabens. Ouvi hoje (sim, estou numa maratona, então qdo em qdo vou postar nos antigos heheheheheh) muita coisa obviamente mudou, mas vou dar meus pitacos

    Randal , procura por 3 filmes chamados Saneamento Básico, O Homem que Copiava e Houve uma vez dois verões (pode ser Meu Tio matou um cara, mas não é tão bom). São filmes do diretor Jorge Furtado e ótimos!

    O Homem que copiava é de uma inteligência impressionante. Assista o filme se prendendo a detalhes mínimos e veja o decorrer da trama. Maravilhoso.

    Os outros dois são do mesmo diretor mas cada um com uma pegada diferente. Saneamento básico é bem legal. O Houve uma vez dois verões deve ser muito mais difícil de achar pois trata-se de um filme velho mas clááááassico e que é uma comédia adolescente e para provar que não precisa ser imbecil para fazer filme para adolescente.

    Era isso. Tinha outras coisas mas não me lembro.

    [ ]s

    • Não adianta, McCrow, não consigo gostar da narrativa dos filmes nacionais. O último que assisti que incrivelmente gostei foi “Faroeste Caboclo”. Na vida toda, não deve haver cinco filmes nacionais que eu realmente gosto.

      • Opaa

        Eu sei Randal! Mas esses são para quebrar seus paradigmas ehehehehehe!

        [ ]s